Se ”mulheres” trans são mulheres, então o que significa ser uma mulher?

por menstruakill

laverne-cox-600x325

A máxima “mulheres trans são mulheres” é uma falsa equivalência que significa pelo menos três coisas.

Em primeiro lugar, isso significa que ser criada como menina desde o nascimento não é um aspecto importante ou relevante do que significa ”ser mulher”, porque qualquer um pode ser mulher mesmo sem essas experiências de socialização.
Em segundo lugar, significa que ter um corpo feminino não é um aspecto importante ou relevante de ”ser mulher”, porque se pode ser uma mulher sem ter um corpo feminino.
E em terceiro lugar isso significa que ”ser mulher” é um reflexo de um desejo individual com relação a categoria social ”mulher”, ao invés de servir como atalho para as realidades físicas e psicológicas experienciadas por pessoas designadas meninas ao nascer (e intersexos também).

………..
Ser ”mulher” é ter sido designada à posição social (casta sexual) menina/mulher no nascimento (ou antes dele); uma identificação subjetiva com essa posição social é irrelevante e varia drasticamente.
Reduzir a experiência do que é ser mulher nessa sociedade a algo subjetivo definido como ”autoconhecimento/sentimento” invisibiliza as realidades materiais impostas às mulheres e meninas desde o nascimento– independentemente das mulheres gostarem de ser ”mulheres” ou não, e independentemente de ”identificação”.
Eu não vou banalizar essas realidades catastróficas a fim de “validar” as identidades subjetivas de alguns. Isso não é uma declaração de ódio, é uma recusa prática de priorizar a teoria da ”identidade” sobre as vidas reais das mulheres e o que o patriarcado, infelizmente, faz com as mesmas sofram.

Original em: http://sexnotgender.com/2013/09/23/if-transwomen-are-women-then-what-does-being-a-woman-mean/

Anúncios